segunda-feira, 27 de julho de 2009

Mártires da Guerra Civil de Espanha
do Mosteiro de São José de Madrid


Martirizadas a 8 de Novembro de 1936
em Madrid
1. Serva de Deus,
madre Maria Isabel do Carmo
(no século Isabel Lacaba Andia)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 3 Novembro de 1882, em Borja, Zaragoza.
Entrou no Mosteiro com 20 anos (a 4 de Novembro de 1902), tinha 54 anos e 34 de vida monástica quando recebeu o martírio e era a abadessa do Mosteiro.
2. Serva de Deus,
sor Maria Petra Pilar dos Desamparados

(no século Petra Peirós Benito)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 29 de Abril de 1863, em Pamplona, Navarra.
Entrou no Mosteiro com 24 anos (a 28 de Novembro de 1887), tinha 74 anos e 49 de vida monástica quando recebeu o martírio e era a vigária do Mosteiro.
3. Serva de Deus,
sor Maria da Assunção

(no século Eustáquia Monedero)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 20 de Agosto de 1864, em Anaya, Segóvia.
Entrou no Mosteiro com 24 anos (a 28 de Fevereiro de 1889), tinha 72 anos e 46 de vida monástica quando recebeu o martírio.
4. Serva de Deus,
sor Maria do Santíssimo Sacramento

(no século Manuela Prensa Cano)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 25 de Junho de 1888, em El Toboso, Toledo.
Entrou no Mosteiro com 17 anos (a 5 de Abril de 1905), tinha 50 anos e 36 de vida monástica quando recebeu o martírio e era a mestra de noviças.
5. Serva de Deus,
sor Maria Balbina de São José

(no século Balbina Rodríguez Higuera)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 10 de Março de 1886, em Madrid.
Entrou no Mosteiro com 33 anos (em 1919), tinha 48 anos e 17 de vida monástica quando recebeu o martírio.
6. Serva de Deus,
sor Maria Guadalupe da Ascensão

(no século Maria de las Nieves Rodríguez Higuera)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 5 de Agosto de 1892, em Madrid.
Entrou no Mosteiro com 36 anos (em 1928), tinha 44 anos e 8 de vida monástica quando recebeu o martírio.
7. Serva de Deus,
sor Maria Joana de São Miguel

(no século Juana Josefa Ochotorena Arniz)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 27 de Dezembro de 1870, em Arraiza, Navarra.
Entrou no Mosteiro com 18 anos (a 29 de Novembro 1889 tomou hábito), tinha 65 anos e 47 de vida monástica quando recebeu o martírio.
8. Serva de Deus,
sor Maria Basília de Jesus

(no século Basilia Díaz Recio)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 14 de Junho de 1889, em Moradilla del Castillo, Burgos.
Entrou no Mosteiro com 32 anos (a 14 de Julho 1921 tomou hábito), tinha 47 anos e 15 de vida monástica quando recebeu o martírio.
9. Serva de Deus,
sor Maria Clotilde do Pilar

(no século Clotilde Campos Urdiales)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 6 de Junho de 1897, em Valdeacón, León.
Entrou no Mosteiro com 26 anos (tomou hábito em Abril de 1924), tinha 39 anos e 12 de vida monástica quando recebeu o martírio.
10. Serva de Deus,
sor Maria Beatriz de Santa Teresa

(no século Narcisa Garcia Villa)
Monja professa da Ordem da Imaculada Conceição, do Mosteiro de São José de Madrid.
Nasceu a 18 de Março de 1908, em Navas de los Caballeros, León.
Entrou no Mosteiro com 16 anos (em 1924), tinha 28 anos e 12 de vida monástica quando recebeu o martírio.

Não se sabe a forma exacta como ocorreu o martírio, contudo podemos reconstruí-la quase conte segurança e certeza, atendendo à forma como naqueles dias decorriam as prisões e os martírios.
Às 4 ou 5 da manhã lia-se a lista dos presos que oficialmente saíam em liberdade, mas que na realidade eram carregados em camiões como gado e assassinados em massa, normalmente por fuzilamentos, nos arredores de Madrid, pelas milícias Comunistas.

O processo de Beatificação e Canonização destas dez mártires Concepcionistas foi instaurado conjuntamente com mais 861 mártires da Guerra Civil de Espanha, com o nome "Eustáquio Nieto Martín e 870 companheiros".
Postulação:
Calle Santo Domingo, 21
45600 Talavera de la Reina (Toledo)
Espanha

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O contemplativo...
pela sua vida escondida,
é luz que se consome, generosamente,
diante de Deus,
recordando-Lhes os Homens
e ilumina o caminho destes para Deus,
permanecendo oculta,
pois o que interessa são os iluminados,
Deus e os Homens...
Pela sua vida silenciosa,
é hino harmonioso e belo
que fala do Homem a Deus
e que aproxima os Homens de Deus.
Como sucede na luz,
também o hino deve permanecer sonoramente silencioso,
diante do abraço de Deus com a Humanidade.
É no toque de Coração (Deus) a coração (Humanidade)
que se abraçam neste abraço,
que o contemplativo encontra a sua morada.
É nestes corações que o contemplativo habita.
No Coração... serei amor...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

domingo, 19 de julho de 2009

sábado, 18 de julho de 2009

VIDA MONÁSTICA: oração e intimidade (1)
O Fenómeno do Monaquismo...
O desejo dos antigos cristãos de terem uma vida mais próxima de Jesus, de viveram de Deus e para Deus, de dedicarem mais tempo à vida de oração e ao contacto com a palavra de Deus.
Os primeiros monges...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

O monge...
é o que fixa o olhar somente sobre Deus,
deseja ardentemente somente a Deus,
consagrou-se somente a Deus
e se esforça por render-lhe um culto indiviso;
está em paz com Deus
e converte-se em fonte de paz para os demais.
Paulo VI, Carta ao Ministro Geral da Ordem Cartusiana para o Capítulo Geral (1971)

quinta-feira, 9 de julho de 2009

«CARITAS IN VERITATE»
(«A Caridade na Verdade»)
a nova Encíclica de Bento XVI

terça-feira, 7 de julho de 2009

Oração pelos Sacerdotes
de Santa Teresinha do Menino Jesus

Ó Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote,
conservai os vossos sacerdotes
sob a protecção do Vosso Coração Amabilíssimo,
onde nada de mal lhes possa suceder.
Conservai puros
e desapegados dos bens da terra
os seus corações, que foram selados
com o carácter sublime do Vosso Glorioso Sacerdócio.
Fazei-nos crer no seu amor e fidelidade para Convosco
e preservai-os do contágio do mundo.
Dai-lhes também,
juntamente com o poder que têm de transubstanciar o pão e o vinho
em Vosso Corpo e Sangue,
o poder de transformar os corações dos homens.
Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos
e concedei-lhes um dia a coroa da vida eterna.
Ámen.

sábado, 4 de julho de 2009

Viver
num lugar separado
ajuda a alma

Também o viver num lugar separado ajuda a alma a não dispersar-se. É nocivo, de facto, viver no meio daqueles que não têm temor, pelo contrário mostram desprezo diante da perfeita observância dos mandamentos. Demonstra-o aquela palavra de Salomão que nos ensina: "Não faças amizade com um homem colérico, nem vás a casa do violento, para não te habituares aos seus costumes e armares um laço contra a tua vida" (Pr 22, 24-25) e aquela palavra "Por isso, saí do meio dessa gente e afastai-vos, diz o Senhor. Não toqueis no que é impuro e Eu vos acolherei" (2Cor 6, 17) refere-se à mesma coisa. Para não ser levados a pecar ... e para evitar habituarmo-nos ao pecado sem nos darmos conta, e para que não fique impresso na alma, para seu dano e ruína, a forma e a marca das coisas vistas e ouvidas, para que seja possível perseverar na oração, retiramo-nos antes de tudo para uma casa separada. Talvez assim possamos vencer os hábitos precedentes, com os quais tenhamos vivido alheios aos mandamentos de Cristo.
São Basílio de Cesareia
(BASILIO DI CESAREA, "Le Regole", Edizioni QiQajon/Comunità di Bose, Magnano, 1993, pgs.96/97 - tradução do Italiano ao Português da responsabilidade do autor deste blog)

quinta-feira, 2 de julho de 2009

OLHA PARA O DESENHO
COM OLHOS DE VER

e deixa o comentário que o mesmo te sugere.